"O País dos Cágados" de António Gomes Dalmeida e Artur Correia

17:46


P.V.P.: 16,92 € (aqui)
Data de Edição: 2012
ISBN: 9789722524384
Nº de Páginas: 88
Editora: Bertrand Editora

Originalmente publicado em 1989, os autores dão agora continuidade à história até ao presente, incluído a Troika e tudo!

Sobre a obra:
Da dupla de autores de História Alegre de Portugal, Artur Correia e António Gomes Dalmeida, O País dos Cágados conta a história de um país habitado pelo Povo Cágado. Desde o Cágado António de Oliveira Azar até ao Pedro Cágado Coelho, passando pela Senhora Tartaruga Berkel e o Cágado Jacuzy, todos são personagens desta fábula onde o fado foi eleito Património Imaterial dos Cágados!

Sobre autor:
António Gomes Dalmeida
Escritor e cronista, é autor de mais de 20 livros e álbuns, mantendo com Artur Correia, além de uma forte amizade pessoal, uma colaboração que se traduz, desde 1955, em inúmeros trabalhos em comum. Nesse ano era diretor do semanário Picapau e, entre outros jornais e revistas, já dirigia O Mundo Ri. Foi chefe de redação da revista Bomba H e diretor dos jornais de Humor O Macaco e O Cágado. Colaborador da Revista do Círculo de Leitores, Sharp Magazine, Revista da Universidade Internacional, A Propriedade Urbana, etc. Na rádio foi copywriter dos Parodiantes de Lisboa e diretor do semanário Parada da Paródia. Autor de milhares de crónicas: Os Cómicos, Lusitânia Show, Os Pontos, Cartas da Minha Aldeia e outras – para o Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Rádio & Televisão, A Bola, Tempo, Tele-Semana, O Leme, Diário do Sul, etc. Autor de textos para televisão: Gente Fina é Outra Coisa, entre outros. Como publicitário criou a imagem do Homem da Regisconta e o slogan Aquela máquina!, e foi diretor do Magazine Regisconta. Foi publicitário da SNCF e da Sharp. Autor das obras Manual da Má Língua e Os Salazarentos. Na parceria com Artur Correia escreveu os textos dos livros O País dos Cágados (1ª versão), Abecedário dos Inventos, À Roda do Tacho, O Petisco em Portugal, História Alegre de Portugal – II, Os Super-Heróis da História de Portugal – I e II (Melhor Álbum Português de BD, Sobreda 2004 e Amadora 2004), Nabos na Cozinha e Os Descobrimentos a Passo de Cágado. Publicou ainda os livros Como era antes de haver…? (recomendado para o Plano Nacional de Leitura), Os Maias – Uma Análise Ilustrada e História e Histórias de Santiago do Cacém. PRÉMIOS: Recebeu o Prémio Especial de Humor Oeiras 2005 e o Prémio de Honra do Festival Internacional de BD da Amadora 2010.

Artur Correia
Iniciou-se no jornal O Papagaio. Fez Teatro Amador, como ator e ensaiador. Em 1949 ingressou no Diário de Notícias e, em 1951, entrou no quadro do Cavaleiro Andante. Colaborou, como ilustrador, em inúmeras outras publicações: Camarada, Fagulha, Fungágá da Bicharada, Pisca-Pisca, Mundo de Aventuras, Picapau, Almanaque de O Mosquito, Popular de Joanesburgo, O Cágado, etc., e em livros escolares e jogos didáticos. Em 1965, iniciou a atividade de realizador de filmes de desenhos animados, conquistando o Prémio do Filme Publicitário no Festival de Annecy. No seu próprio estúdio, Topefilme, realizou inúmeros filmes: A Família Pitucha, Eu quero a Lua (Medalha de Ouro no Festival de Bilbau), O caldo de pedra, O Romance da Raposa e muitos outros. Publicou álbuns de banda desenhada: A água que bebemos, Esta palavra Concelho, O Príncipe com orelhas de burro, O João mandrião, A Torre de Babilónia, A Machadinha, A bela menina, Era uma vez um Dragão, Era uma vez um Leão, Era uma vez uma Águia, etc. Publicou os livros História Alegre de Portugal – I, sobre texto de Pinheiro Chagas (Melhor Álbum de BD, Sobreda 2004), as adaptações para BD do Auto da Barca do Inferno e Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, e O Romance da Raposa, de Aquilino Ribeiro (recomendado para o Plano Nacional de Leitura). Prémios: Recebeu o Prémio de Honra do Festival BD da Amadora 2009.


Imprensa:
-

You Might Also Like

1 comentários

Follow on Facebook

Site Meter