O Suplente de Rui Zink

15:04

P.V.P.: 15,98 €
Data de Edição: 2013
Nº de Páginas: 320
Editora: Editorial Planeta
Atenção: este livro NÃO É sobre futebol.
É um livro tocante sobre a dor maior que é a perda de um filho e a acção que isso exerce nos que ficam.
É um livro sobre pessoas e o grau de humanidade que nelas habita.
Ou não.
Matéria forte.
Escrita a sério.
À Rui Zink.
Sobre a obra:
Se um de nós morre, arranja-se um suplente. Se o suplente morre ou por alguma razão se avaria, arranja-se outro suplente. A humanidade é, por inteiro, descartável.
Por vezes a consciência atinge-nos como um raio, ou uma fatalidade. Daí se poderá dizer que este livro nasce. O autor diz que é, até hoje, o seu romance preferido. Ou aquele que mais tenta dar resposta a interrogações pessoais: «a) Como resolver a perda? b) Como sobreviver ao caos? c) O amor salva, sim mas muito ou só um bocadinho? d) Na era do sexo fácil, qual o valor exacto do amor físico? e) Quando estamos em queda livre, há redenção possível? »
Há respostas dadas no livro? Há respostas possíveis? Diga quem lê.
Sobre autor:
Rui Zink nasceu em Lisboa em 1961. É escritor e professor no Departamento de Estudos Portugueses da Universidade Nova de Lisboa.
Estreou-se como ficcionista em 1986 e desde então publicou mais de duas dezenas de obras, entre ficção, ensaio, literatura para a infância, BD e teatro.
Alguns dos seus livros encontram-se traduzidos para inglês, alemão, hebraico, japonês, romeno, sérvio, croata e francês.

Ficção:
Hotel Lusitano • A realidade agora a cores • Homens Aranhas • Apocalipse Nau • O Suplente • Os Surfistas • Dádiva Divina • A Palavra Mágica • A Espera • O Anibaleitor • O Destino Turístico • O amante é sempre o último a saber• A Instalação do Medo

Não-ficção:
O Humor de Bolso de José Vilhena • Literatura Gráfica • A Arte de José Vilhena • Luto pela Felicidade dos Portugueses

Com:
António Jorge Gonçalves: A Arte Suprema • Rei • O Bicho da Sida • O Grupo do Leão • Manuel João Ramos: O Bebé que não gostava de televisão/não sabia quem era/fez uma birra • Major Alverca • Luís Louro: O Halo Casto • Manuel Serrão e Miguel Esteves Cardoso: Os Senhores da Má- Língua • Fernando Aguiar: A Escada de Pedra • Leonor Areal: Pornex – O Livro • Almeida Garrett: Viagens na minha terra (trocadas por miúdos) • Sara Duarte Ferreira: O conto das duas saudades

Visite o site do autor em www.ruizink.com
Imprensa:
«Um romance quase clássico, em que um acidente, a morte de uma criança atropelada por um automóvel (...) transtorna a vida das pessoas envolvidas.
N'O Suplente— sem dúvida o melhor romance de Rui Zink até agora — a catástrofe desencadeia uma série de outras catástrofes pessoais, cujas origens já estavam — mais ou menos oprimidas — nas mentes das pessoas.»
Nova Cultura

«Se há romance do qual não se deva contar a história é este. Não porque à maneira de um policial clássico, com isso se anulasse o efeito surpresa do final, mas, ao invés, porque lhe retiraríamos o efeito surpresa do começo (ou quase).»
Ana Cristina Leonardo, Expresso, 29/4/2000

«Ainda acho que O Suplente é o meu melhor livro. Porque é o livro mais duro.»
Rui Zink em entrevista ao Jormal i, 24 de Março, 2010

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook

Site Meter