A Conjura de Cortés de Matilde Asensi | Editorial Planeta

11:50

P.V.P.: 14,79 
Data de Edição: 2014
Nº de Páginas: 274
Editora: Editorial Planeta
Uma apoteose extraordinária para a trilogia de Martín, Olho de Prata, o livro pelo qual todos esperavam.
A Conjura de Cortés culmina o percurso de Matilde Asensi pelo Século de Ouro espanhol, quando Espanha era o centro do mundo, visto desta vez a partir da Nova Espanha.
Uma maneira de contemplar a História que a tornou credora do reconhecimento dos leitores e da crítica e que, claro, está cheia de intrigas, corrupção, aventuras e imaginação.
Esta trilogia Martín, Olho de Prata é protagonizada pela intrépida Catalina Solís que, depois de embarcar rumo às ilhas do Caribe, se converterá num dos muitos contrabandistas que na época navegavam naqueles mares.
Sobrevivendo numa ilha deserta durante dois anos, Catalina começa uma nova vida sob o nome de Martín, Olho de Prata.
Sobre a obra:
Neste romance, Catalina vê-se obrigada a desmascarar uma grande conjura concebida pelos inimigos para derrubar o rei de Espanha.
A aparição de um mapa que revela onde se pode encontrar o lendário tesouro de Hernán Cortés desempenhará um papel essencial no plano de Catalina para descobrir os traidores e cumprir o seu juramento de acabar com os Curvos.
A dupla personalidade de Catalina Solís / Martín Nevares enfrentará, além disso, um grave risco para o seu equilíbrio: o amor.
Uma vez mais, Matilde Asensi irá surpreender os leitores com um fim inesperado.
Sobre autor:
Matilde Asensi nasceu em Alicante. Em 1999, publicou o seu primeiro romance, El Salón de Ámbar, que se encontra traduzido em várias línguas. O seu romance seguinte, Iacobus (2000), chegou aos primeiros lugares das listas dos livros mais vendidos e O Último Catão (2001) confirmou-a como a autora da sua geração com maior êxito de crítica e de público.
Em 2003, com El Origen Perdido, Matilde Asensi reinventou o género do romance de aventuras. E em Peregrinatio (2004), recuperou as personagens de Iacobus e levou-as ao Caminho de Santiago. Tudo debaixo do Céu (2006) transportou os seus leitores à China do Grande Imperador.
Matilde Asensi foi finalista dos Prémios Literários Ciudad de San Sabastián (1995) e Gabriel Miró (1996) e ganhou o primeiro prémio de contos no XV Certamen Literario Juan Ortiz del Barco (1996), de Cádiz, e o XVI Premio de Novela Corta Felipe Trigo (1997), de Badajoz.
Como reconhecimento dos seus romances históricos ganhou o Prémio de Honor de Novela Histórica Ciudad de Zaragoza.
Imprensa:
-

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook

Site Meter