"O Exército Furioso" de Fred Vargas | Porto Editora

21:53

P.V.P.: 14,94 € 
Data de Edição: 2014
Nº de Páginas: 368
Editora: Porto Editora
O Exército Furioso foi premiado com o International Dagger Award

Fred Vargas é uma das mais importantes escritoras francesas atuais, sendo um nome incontornável quando se fala dos grandes escritores de policiais do momento. Depois de Um lugar Incerto e A Terceira Virgem, a Porto Editora publica o seu mais recente romance, O Exército Furioso.
Este livro, que chega às livrarias nacionais a 31 de outubro, foi distinguido em 2013 com o International Dagger Award, atribuído pela Crime Writers’ Association do Reino Unido, sendo já a quarta vez que a autora recebe este prémio. Em todo o mundo, os livros de Fred Vargas venderam mais de 10 milhões de exemplares e estão traduzidos para 35 países.
Sobre a obra:
Uma lenda medieval ensombra a pequena cidade de Ordebec, na região francesa da Normandia: uma horda de cavaleiros mortos, descarnados, sem braços nem pernas, o Exército Furioso, erra à noite por um trilho na floresta, espalhando o terror entre os habitantes. Segundo reza a lenda, o exército de mortos-vivos vem anunciar a morte aos pecadores e, regra geral, os eleitos são os habitantes mais odiados: os assassinos e os ladrões.
Quando o estranho exército, fazendo jus à sua fama, colhe mais uma vítima, o comissário Adamsberg, a pedido de uma estranha mulher, vem de Paris e, juntamente com a sua equipa, os tenentes Danglard, Retancourt e Veyrenc, terá de investigar a crença nessa horda sinistra, desafiar superstições ancestrais e descobrir onde termina a lenda e onde começam os planos macabros de assassinatos em série.
Sobre autor:
Fred Vargas (pseudónimo de Frédérique Audouin-Rouzeau) nasceu em Paris em 1957. Estudou História e Arqueologia e publicou vários romances policiais que estão traduzidos em trinta e cinco países. Unanimemente reconhecida como a rainha francesa do polar, os seus livros foram galardoados com inúmeros prémios: o Prix Mystère de la Critique (1996 e 2000), o Grande Prémio da Novela Negra do Festival de Cognac (1999), o Trofeo 813, o Giallo Grinzane (2006) e o CWA International Dagger (2006, 2007, 2009 e 2013). Só em França, as suas obras venderam já mais de cinco milhões de exemplares.
Imprensa:
Mais uma vez, encontramos um pouco de tudo: personagens pertinentes, um cenário inteligente e uma intriga subtil.
L’ Express

Soberbo. […] Apenas a peculiar unidade criminal de Christopher Fowler pode ser comparada com os excêntricos polícias da brigada francesa, que incluem um narcoléptico, uma enciclopédia ambulante e um naturalista.
Publishers Weekly

Fred Vargas tem um estilo levemente cinematográfico, com reminiscências de Hitchcock, num cenário que poderia ter sido pensado por Tim Burton.
The Independent

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook