Manuscrito Editora | "Cheguei Onde me Esperavam" de Teresa Guilherme

22:00

P.V.P.: 13,46 € 
(à data da publicação deste post)
Nº de Páginas: -


Sobre a obra:
Um livro inspirador que nos alerta para a importância de estarmos atentos aos sinais que a vida nos dá. 

A minha vida, tal como a vossa, é entrelaçada por uma cadeia de surpresas, muitas vezes inexplicáveis. Sou fascinada pelo destino, pelos acasos, pelas coincidências da vida. Acreditei, em tempos, que tinha tudo sob controlo, na minha mão. Era a mim que pertencia a minha conta, peso e medida. Até descobrir, para meu enorme susto, que afinal eu é que era a controlada por tudo ou por um nada (…). Passei duma frenética controladora do tudo, a uma curiosa espectadora de cada pequeno nada. Sempre atenta a qualquer sinal que se apresentasse, em jeito de acaso.


Parei de me preocupar com os sins e com os nãos que atiramos para decidir a nossa vida sem nunca sabermos qual a melhor opção. Porque no minuto em que viramos à esquerda, nunca saberemos o que poderia ter acontecido se virássemos à direita. Tudo é uma escolha às cegas por mais que os olhos, reais ou os da nossa intuição, estejam bem abertos. Diz-se que "sempre chegamos onde nos esperam", mesmo sem sabermos onde é, quando será ou o que nos está reservado. 

Teresa Guilherme traz-nos um livro intimista com histórias reais que nos emocionam e nos fazem soltar umas boas gargalhadas. Encontros inesperados com pessoas que mudaram a sua vida, passos que deu e que alteraram o seu rumo, sinais que a despertaram para o que não estava à vista, acasos e situações inesperadas que a colocaram à hora certa no lugar certo.


Sobre autor:
Apresentadora e produtora de televisão, Teresa Guilherme nasceu em Lisboa em 27 de Junho de 1955, sendo filha do cantor Luís Guilherme e da fadista Lídia Ribeiro. A sua infância foi repartida entre o Brasil e Portugal e aos dezasseis anos começou a interessar-se pelo mundo do espetáculo, embora não tenha seguido as pisadas dos pais. Optou, antes, por ajudar a montar espetáculos atrás dos palcos. 

Ingressou na RDP pela mão de Raul Durão, em 1978, aos 23 anos, para exercer a função de produtora no programa radiofónico "Vozes e Nozes", onde também participava Nicolau Breyner, Vitor Norte, Francisco Nicholson, entre outros. Mas, ao longo da década de 80 começou a dedicar-se mais à produção de festas e espetáculos, como passagens de modelos e inaugurações de centros comerciais, tendo formado uma empresa, a "Teresa Guilherme, Lda.". 

Em 1991, iniciou-se na televisão, ao criar e produzir um programa para a RTP destinado ao público juvenil. Chamava-se "Acontecimentos, Limitada" e tinha periodicidade semanal. Ainda nesse ano, Teresa Guilherme estreou-se à frente das câmaras, ao apresentar um programa da sua autoria, o "Eterno Feminino". Também em 1991 produziu o concurso "Sim ou Sopas", apresentado por Manuel Luís Goucha, seguindo-se uma série de programas televisivos na RTP. No principio dos anos 90 também apresentou programas de rádio, na Comercial e Renascença. 

Em 2002 Teresa Guilherme produziu, entre outros, os programas "Lux", "As Manhãs de Sofia" e "Olá Portugal" para a TVI e a "Fábrica de Anedotas" e o "Passeio dos Alegres" para a RTP. "Olha que Dois" (1993, RTP) foi o primeiro programa apresentado por Teresa Guilherme, em parceria com Goucha, sem ser produção sua. Ainda nesse ano, propôs ao canal televisivo SIC o programa diário "E o Resto é Conversa", que viria a ter quase 200 edições. No final de 1994, a SIC confiou-lhe a apresentação e produção do inovador concurso "Não se Esqueça da Escova de Dentes", um sucesso só comparável a "Ai os Homens", uma grande produção de Teresa Guilherme que foi para o ar em 1998 e cuja apresentação esteve a cargo de José Figueiras. 

O regresso à RTP deu-se no ano seguinte com a produção de "Passeio da Fama", mas pouco tempo depois passou a trabalhar também para a TVI e para a SIC. No ano 2000, foi convidada a apresentar o "Big Brother", uma produção da Endemol para a TVI que viria a revolucionar a televisão portuguesa, com seis edições. 

Em Outubro de 2004, estreou-se como apresentadora da reposição do concurso "Um, Dois, Três" na RTP1 e em 2006 pisou, pela primeira vez, os palcos de um teatro, com a peça A Partilha, de Miguel Falabella. 

Em 2005 a convite de Francisco Penim foi responsável de Ficção da SIC, tendo produzido inumeras séries e novelas, entre as quais o grande sucesso Floribella, a Vingança (onde também entrou como actriz). 

Em 2008, Teresa Guilherme regressa à apresentação com o programa Momento da Verdade, na SIC. Em 2011, recebe o convite da TVI de apresentar a 2ª edição do Secret Story - Casa dos Segredos. 

Desde 2011, ministra cursos de Apresentação de Televisão em várias Escolas.

Imprensa:
-

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook