Saída de Emergência | "Guerra e Paz Vol.I de II" de Lev Nikoláievich Tolstói

17:30

P.V.P.: 18,99 € 
(à data da publicação deste post)
Nº de Páginas: 672


Sobre a obra:
A Obra-prima de um dos gigantes da literatura universal 


Guerra e Paz é o verdadeiro clássico da literatura universal. No início do século XIX, a Rússia é devastada pelos exércitos de Napoleão e as vidas de homens e mulheres cruzam-se num tecido narrativo deslumbrante. Tanto as vidas mais mundanas como os faustosos bailes, as tramas políticas ou as violentas campanhas bélicas do
Czar Alexandre são trabalhadas com o realismo e limpidez que caracterizam o génio de Lev Tolstoi. Sempre presentes estão as desigualdades sociais e os caprichos de uma aristocracia vã e indiferente à miséria e ao sacrifício.
Esta é uma obra intemporal que condensa toda a condição humana, simultaneamente romance histórico, bélico e filosófico, e propõe acutilantes reflexões sobre os temas que nos movem e comovem: a vida, o sacrifício, a liberdade, a justiça, o amor e a honra.


Sobre autor:
Lev Nikolayevich Tolstoi nasceu a 9 de setembro de 1828 em Yasnaya Polyana, Rússia. De entre as suas obras, Guerra e Paz e Anna Karenina são consideradas clássicos da literatura universal, frutos do génio criativo e pensador de um dos autores mais lidos e celebrados em todo o mundo. Membro da nobreza com o título de conde, serviu como tenente nas batalhas do Cáucaso e na guerra da Crimeia – tais circunstâncias levá-lo-iam a tornar-se um pacifista e um ativista pela justiça e fraternidade, procurando sempre melhores condições de vida para os seus subordinados. 

Em 1862 casou com Sophia Behrs, 16 anos mais nova do que ele, tendo tido juntos 13 filhos, dos quais 8 sobreviveram. Sophia e Lev tiveram uma forte relação de amor e companheirismo – Sophia era sua datilógrafa, revisora e contabilista. Tolstoi dedicou mais de cinco décadas à escrita. Morreu de pneumonia em 20 de novembro de 1910.

Imprensa:
"Se não fosse Tolstoi, a literatura seria um rebanho sem pastor ou um caos incompreensível."
Anton Tchekhov

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook