Um deus passeando pela brisa da tarde de Mário de Carvalho

P.V.P.: 14,94 €
Data de Edição: 2013
Nº de Páginas: 360
Editora: Porto Editora
Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, de Mário de Carvalho
Traduzido para nove línguas, este é o romance mais premiado do autor

Segundo o The New York Times Book Review, Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde «é simultaneamente um estudo envolvente sobre a conduta moral de um homem e uma reflexão provocadora sobre a dificuldade de se levar uma vida virtuosa numa era em constante mudança». Este romance, internacionalmente conhecido e o mais premiado de Mário de Carvalho, regressa aos escaparates das livrarias nacionais no dia 1 de abril, agora publicado pela Porto Editora, quase vinte anos após a sua primeira edição.
Sobre a obra:
Lúcio Valério Quíncio é o magistrado de Tarcisis, cidade romana da Lusitânia no século II d. C. Como dirigente máximo, cabe-lhe tomar todas as decisões, enquanto tumultuosos acontecimentos conduzem a pequena cidade ao descontentamento geral. No exterior, notícias de uma invasão bárbara iminente, proveniente do Norte de África, obrigam-no a drásticas medidas, enquanto, no interior das muralhas, uma nova seita, a Congregação do Peixe, põe em causa os valores da romanidade, evocando os ensinamentos dum obscuro crucificado. No plano íntimo, a paixão devastadora por uma mulher, Iunia, perturba-o e confunde-o, mas sem o afastar do cumprimento do seu dever.
Neste romance em que a ficção se sobrepõe à História, traduzido em nove línguas e galardoado com o Prémio de Romance e Novela da APE, o Prémio Fernando Namora, o Prémio Pégaso de Literatura e o Prémio Literário Giuseppe Acerbi, Mário de Carvalho reconstitui as características culturais, políticas e quotidianas do Império Romano, sem nunca esquecer a «intercessão de certo deus que, nos primórdios, ao que parece, passeava num jardim pela brisa da tarde…».

Ler Excerto
Sobre autor:
Mário de Carvalho nasceu em Lisboa em 1944. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico. Desde então, tem praticado diversos géneros literários – romance, novela, conto e teatro –, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Utiliza uma multiforme mudança de registos, que tanto pode moldar uma narrativa histórica como um romance de atualidade; um tema dolente e sombrio como uma sátira viva e certeira; uma escrita cadenciada e medida como a pulsão duma prosa endiabrada e surpreendente.
Nas diversas modalidades de Romance, Conto e Teatro, foram atribuídos a Mário de Carvalho os prémios literários portugueses mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance, Conto e Teatro da APE, o prémio do Pen Clube e o prémio internacional Pégaso). Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas. Obras como Os Alferes, A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho, Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, ou O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel são a comprovação dessa extrema versatilidade.

Página do autor: www.mariodecarvalho.com
Imprensa:
Ao longo deste livro, Mário de Carvalho recria meticulosamente a vida de um homem reto e as suas tentativas de proteger tudo o que lhe é mais querido, num ambiente em rápida mudança, ao mesmo tempo que convida o leitor a imaginar como agiria se se visse em circunstâncias semelhantes.
Library of Congress

Um romance extraordinário, escrito por um autor extraordinário […] um efabulador de génio que deu a um passado morto uma vida vibrante.
Sunday Telegraph
Um deus passeando pela brisa da tarde de Mário de Carvalho Um deus passeando pela brisa da tarde de Mário de Carvalho Reviewed by Clube dos Livros on março 27, 2013 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.