Quando o Ódio Matar de Carina Bergfeldt | Editorial Planeta

11:59

P.V.P.: 16,97 
Data de Edição: 2014
Nº de Páginas: 384
Editora: Editorial Planeta
Um thriller diferente de tudo o que já leu.
Um homicídio é investigado por três mulheres.
Uma delas planeia matar o pai, sem que nunca saiba qual é.
Não conseguirá parar de ler até descobrir de qual das três se trata!
Sobre a obra:
O leitor vai querer resolver o enigma do assassínio, mas também vai querer saber qual das três mulheres - Júlia, Ing-Marie ou Anna - planeia matar o pai.
Terá a sensação de estar a cooperar com as investigações, percebendo pistas escondidas e tirando conclusões com a protagonista.
Um thriller negro e psicológico, que marca a estreia literária de Carina Bergfeldt, a jornalista sueca que foi a única repórter que passou a noite com as vítimas da matança na Noruega, onde morreram 76 pessoas, em 2011. Uma experiência que mudou totalmente a sua visão como jornalista e a sua forma de enfrentar o mundo «que é tão terrível como o policial mais negro.»
A violência doméstica e o abuso de menores são expostos neste livro, que retrata com realismo, o que uma vítima de maus-tratos pode acabar por fazer para ter paz de espírito.
Um livro, que segundo a autora, desperta as consciências para este problema social à escala mundial. Na Suécia, a cada 40 minutos uma mulher denuncia maus-tratos em casa e uma em cada quatro sofre-os.

Como fazer justiça poética com os males do mundo e ser bemsucedido é a ideia-base deste thriller. Uma ideia inspiradora que surgiu da série televisiva Dexter, cujo protagonista cometia crimes-perfeitos e saía sempre impune.
Em Quando o Ódio Matar, a protagonista olha para trás e relembra todos os anos em que planeia matar o seu pai. Ao contrário de Dexter, é uma pessoa sofrida que deseja fazer do mundo um lugar melhor.

Com grande minúcia, uma mulher planeia a morte da pessoa que converteu a sua vida num inferno, o pai. O macabro plano toma forma num bloco-notas em que a capa tem umas apetitosas madalenas. Uma nota no frigorífico com as palavras: «Matar o papá» recorda-lhe qual o motor que impulsiona a sua vida.
Enquanto o plano parricida avança, é encontrado o cadáver de uma mulher num lago da cidade de Skövde. A inspectora Anna Eiler trabalha no caso, mas não é a única: duas jornalistas locais, Ing-Marie Andersson e Julia Almliden, realizam a sua própria investigação.
As três têm razões pessoais para resolver o assassínio, as três escondem algo, mas só uma delas é capaz de preparar a sangue-frio um crime mais atroz do que aquele que pretende resolver.
Sobre autor:
Nasceu em 1980 e cresceu em Götene, uma aldeia no centro da Suécia. É a jornalista-estrela do principal jornal sueco Aftonbladet. Foi galardoada com o Swedish Grand Journalism Prize 2012, por ser a única jornalista que se infiltrou entre as vítimas da matança da Noruega, com quem passou a primeira noite, e com o Premio Årets Stilist pela qualidade estilística do seu trabalho jornalístico.
Imprensa:
«Um romance importante… leia este thriller psicológico e recorde que o que conta é real.»
Amelia’s Magazine

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook