"A Mão de Deus de Philip Kerr" | Porto Editora

17:00

P.V.P.: 15,93 € 
(à data da publicação deste post)
Data de Edição: 2016
Nº de Páginas: 376
Philip Kerr, um dos mestres do policial britânico, regressa com o segundo volume da série Scott Manson, desvendando como ninguém os segredos que se trocam nos corredores mais obscuros do futebol de elite, desta vez em Atenas. A Mão de Deus, que a Porto Editora publica a 3 de novembro, é um thriller de violência, crime e desporto, complementado por uma visão da Grécia em tempos de crise económica, ódio entre equipas rivais e hooliganismo. Jogadores, empresários, dirigentes de clubes e instituições, ninguém escapa à investigação de Manson.
Mercado de Inverno, o primeiro livro desta série, foi publicado no ano passado pela Porto Editora.
Sobre a obra:
O London City FC, clube que pela mão de um misterioso oligarca ucraniano chegou ao topo do futebol inglês, vai a Atenas jogar uma partida de acesso à Champions, no terreno do Olympiacos. Se um jogo no reduto grego de Karaiskakis se assemelha a uma batalha épica digna de guerreiros de outras eras, a morte em pleno relvado de uma das maiores estrelas do plantel é algo que ultrapassa o futebol.
Uma paragem cardíaca ou a suspeita de algo mais? A anarquia tomou conta das ruas e Atenas está a ferro e fogo… Perante os constantes bloqueios à investigação das autoridades gregas, Manson, treinador e agora detetive, procurará também ele descobrir o que realmente aconteceu. O jogo fora das quatro linhas não conhece regras e Manson terá de se movimentar num universo onde o dinheiro permite as maiores loucuras e silencia todos os tabus…
Sobre autor:
Philip Kerr nasceu em Edimburgo, em 1956, e é o autor bestseller dos célebres thrillers em torno da personagem Bernie Gunther (no catálogo da Porto Editora figuram já O Projecto Janus e Se os mortos não ressuscitam), pelos quais recebeu, em 2009, os prémios CWA Ellis Peters Historical e RBA International for Crime Writing. Para além dos catorze romances publicados, escreveu uma série de livros juvenis com o pseudónimo de P. B. Kerr. Colabora assiduamente em publicações como o Sunday Times, o Evening Standard e o New Statesman. Um dos nomes mais consagrados do policial britânico, é traduzido em 25 idiomas e várias das suas obras foram adaptadas ao cinema e à televisão. Um adepto de longa data do Arsenal, vive agora em Londres.
Página do autor: www.philipkerr.org
Imprensa:
Um excelente policial.
Sunday Post

Um thriller acerca do futebol altamente divertido […] Pleno de revelações sobre o quão sujo e cínico se tornou o desporto-rei.
Irish Independent

Philip Kerr, nome reconhecido do policial britânico, cria aqui um exercício de verdadeiro suspense, ligando o sempre misterioso mundo do futebol à atividade policial.
Jornal de Notícias

Kerr é bom. Muito bom. Do melhor que se pode ler hoje em dia. […] Senão o melhor. Talvez esteja até muito perto do nível do próprio Manuel Vázquez Montalbán.
El Mundo

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook