"A Janela do Cardeal" de Luís Miguel Novais


Autor: Luís Miguel Novais
P.V.P.: 17,00 €
Data 1ª Edição: 2010
Nº de Edição:
ISBN: -
Nº de Páginas: 240
Dimensões: - x - mm
Colecção: -
Editora: Planeta
Baseado em factos reais

Romance histórico de Luís Miguel Novais reconstrói vida do quase Papa Dom Miguel da Silva

A Janela do Cardeal parte de Dom Miguel da Silva, o homem que poderia ter sido Papa não fosse a perseguição de el-rei D. João III, para reconstruir todo um período injustamente esquecido da história portuguesa.

Para escrever A Janela do Cardeal, que será apresentado amanhã, dia 8 de Julho, pelas 21h30 no Castelo da Foz, palácio mandado erigir no século XVI pelo protagonista do romance, Luís Miguel Novais pesquisou e leu muitíssimo.
Dom Miguel da Silva nasceu em Évora por volta do ano de 1480, filho de D. Diogo da Silva e Menezes, aio de D. Manuel quando duque de Beja e primeiro conde de Portalegre e de D. Maria de Aiala e era sobrinho carnal de dois santos: o Beato Amadeu, fundador de um ramo da Ordem Franciscana, e a Beata Beatriz da Silva, fundadora das Irmãs Concepcionistas, a primeira congregação religiosa instituída para celebrar o privilégio da Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Dos estudos em Paris e em Itália, onde viveu em Bolonha, Siena, Roma e Veneza, às altas instâncias do Vaticano foi um instante. Em 1514 D. Manuel nomeou-o embaixador junto do papa Leão X, tornando-se assim o segundo diplomata português com missão permanente na Cúria Romana, alcançando tanto lá como cá o lugar de maior embaixador de Portugal na Santa Sé durante o século XVI. Ainda assim, Dom Miguel da Silva poderia ter chegado mais longe. Por muitos considerado um digno sucessor de Pedro, o cardeal responsável pela grande reforma renascentista em Viseu, foi contudo impedido por el-rei D. João III de alcançar o sólido pontifício.
«Um cardeal português podia ter sido Papa se não tivesse tido a oposição do rei Dom João III. Chamou-se Dom Miguel da Silva, um grande português de sempre que foi banido e riscado dos livros de Portugal. Em Roma morreu, exilado, em 1556, sem ter conseguido voltar à pátria desde a sua fuga em 1540. A autodefesa escrita pelo seu próprio punho permanece, até hoje, como que ocultada nos arquivos secretos do Vaticano. Nela me baseei para escrever ficção», refere o autor na introdução da obra.
A epopeia dos Descobrimentos, a cultura do Renascimento e os dias negros da Inquisição convivem com a atmosfera das intrigas e dos jogos de poder, tudo isto é possível vislumbrar através do livro A Janela do Cardeal.
  • Sobre Luís Miguel Novais
Luís Miguel Novais nasceu em Portugal em 1963. Licenciado em Direito pela Univer-sidade Católica Portuguesa em 1986, pros¬seguiu estudos de pós-graduação noutras áreas em diversos países da Europa. Exerce advo¬cacia desde 1989, sendo actualmente presi¬dente em Portugal da União Internacional dos Advogados. Foi professor de Direito Internacional e orador em diversas conferên¬cias internacionais em todos os continentes. A sua obra está publicada em diversas lín¬guas. Na imprensa portuguesa foi colabora¬dor permanente do Mais Semanário e é cola-borador regular do Grande Porto.

Nos anos 80, foi um dos protagonistas do movimento da música moderna portuguesa, músico e cantor da banda de rock Prece Oposto.

A Janela do Cardeal é o seu primeiro romance histórico.
"A Janela do Cardeal" de Luís Miguel Novais "A Janela do Cardeal" de Luís Miguel Novais Reviewed by Clube dos Livros on julho 07, 2010 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.