Opinião: "Compaixão" de Jodi Picoult

agosto 20, 2010


Autor: Jodi Picoult
P.V.P.: 18,16 € (aqui)
Data 1ª Edição: 2010
Nº de Edição:

ISBN
: 978-972-262-720-7
Nº de Páginas: 408
Dimensões: 155 x 235 mm
Colecção: -
Editora: Civilização Editora

Sobre a obra:
Se o amor da sua vida lhe pedisse ajuda para morrer, que faria? O comandante da polícia de uma pequena cidade de Massachusetts, Cameron McDonald, faz a detenção mais difícil da sua vida quando o seu primo Jamie lhe confessa ter matado a mulher, que sofria de uma doença terminal, por compaixão. Agora, um intenso julgamento por homicídio coloca a cidade em alvoroço e vem perturbar um casamento estável: Cameron, colaborando na acusação contra Jamie, vê-se, de repente, em confronto com a sua mulher, Allie – fascinada pela ideia de um homem amar tanto a mulher a ponto de lhe conceder todos os desejos, até mesmo o de acabar com a vida dela. E quando uma atracção inexplicável leva a uma traição chocante, Allie vê-se confrontada com as questões sentimentais mais difíceis: quando é que o amor ultrapassa os limites da obrigação moral? e o que é que significa amar verdadeiramente alguém?


“...uma inspirada reflexão sobre o amor… Picoult dedica uma atenção apaixonante às personagens principais, dando forma a uma exploração sensível do equilíbrio do amor.”
PUBLISHERS WEEKLY

“Picoult escreve com um toque refinado, um olhar atento ao pormenor e um entendimento da delicadeza e da complexidade das relações humanas.”
THE BOSTON GLOBE

“Picoult, mais uma vez, foca um assunto intenso e usa o seu estilo genial e complexo para expor todos os tons de cinzento na perfeição.”
COSMOPOLITAN

Opinião:
Já falei sobre esta escritora e na sua escrita particular que faz das suas obras grandes êxitos.
Este livro é sem dúvida mais um!
Quando o comprei, fiquei com a ideia que desta vez, Jodi Picoult debruçava-se sobre um tema especialmente polémico para a nossa sociedade, a Eutanásia. Sinceramente, depois de ler o livro, a sua essência não é esta ou a morte por compaixão.
A sua essência é uma pura reflexão sobre o amor.
O que é que significa amar verdadeiramente alguém!
Jodi Picoult conta-nos paralelamente duas histórias, a de Jamie e Maggie e de Cam e Allie.
Jamie matou Maggie, a sua esposa, na esperança de pôr fim ao sofrimento de uma morte lenta e dolorosa, provocada por uma doença terminal.
Para mim o que desenvolve esta narrativa não foi o que Jamie fez, mas o que o levou a fazer!
E é perante o episódio de traição de Cam, que esta escritora nos obriga a reflectir sobre isso.
Allie amava perdidamente Cam, da mesma forma que Jamie amava Maggie.
A única diferença reside na forma como agiram perante as pessoas que amavam.
Allie apesar de amar o marido, após saber da sua traição, não chorou, não se descontrolou, nem implorou para que Cam ficasse com ela. No fundo contrariou a atitude que ele esperava que ela tivesse.
Jamie, não fizera o mesmo...
Se tivesse contrariado o último desejo de Maggie, ainda a teria ao pé de si, nem que fosse por pouco tempo e mesmo não sendo a mulher que era. Só que durante todo aquele tempo acreditava que para obter a sua devoção teria de fazer tudo o que ela queria e foi o que fez.
Matou-a a seu pedido, cometendo um crime por simplesmente ter amado a sua mulher de mais.
Cada leitor tem uma opinião sobre este caso e interpreta-o de forma diferente.
Eu concordo com Jamie!
"Quando amamos realmente alguém, temos de recuperar essa pessoa."
Foi isso que não fez, mas aconselhou Allie a fazer. Será que ela seguiu o seu conselho?
E Jamie?
Terá sido condenado por ter amado a mulher sem limites?
Se contar tudo não tem graça!

Opinião enviada por Bruna Cunha do blogue
http://omeudiariodaleitura.blogspot.com

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook