Opinião: "Diário dos Infiéis" de João Morgado


Autor: João Morgado
P.V.P.: 12,63 € (aqui)
Data 1ª Edição: 2010
Nº de Edição:
ISBN: 978-989-555-519-2
Nº de Páginas: 176
Dimensões: 155 x 236 mm
Colecção: -
Editora: Oficina do Livro

Sinopse:
Quatro casais, oito personagens e a pergunta que nos assalta quando percebemos o fim: ainda me amas? Não sabem o que os faria felizes, nem se lembram do dia em que sentiram o peso da solidão, em que se amaram ou se desejaram. Hoje, não se reconhecem, não têm coragem para mudar de vida, para assumir o fim e procurar noutro amor o caminho de volta para o compromisso maior: ser feliz.
Num diário de emoções íntimas, falam na primeira pessoa do que sentem em relação a si e aos outros. Concluem que, cada um à sua maneira, todos foram infiéis: por pensamentos, actos ou omissões.
Com vidas entrelaçadas, cada um descreve no diário a sua viagem pelo mundo do sexo, do desejo, do pudor, do egoísmo, do amor-próprio, do envelhecimento, do sonho, da morte… Enfim, a matéria-prima da qual é feita a existência de gente vulgar. «Sobre nós minguem escreverá um romance», diz uma das personagens. Talvez desconhecendo que todos os dias a vida nos ensina o contrário.

Sobre o autor:
João Morgado nasceu na Covilhã. Formado em Comunicação pela Universidade da Beira Interior, fez um mestrado na Universidade Pontifícia de Salamanca e trabalhou alguns anos como jornalista.
Actualmente, escreve crónicas de opinião, colabora com o semanário SOL, é director do site Kaminhos.com, formador e consultor de comunicação e imagem no meio empresarial e político.
É autor de Covilhã e A Estrela, Covilhã e a Imprensa – Memórias do Primeiro Século – 1864/1964 e da Colectânea de Poesia Contemporânea da Beira Interior. Diário dos Infiéis é o seu primeiro romance.

Opinião:
Nesta obra, são retratados vários casais e todos os seus segredos, dos seus diários mais íntimos.
São então 4 casais: Afonso e Alice / Leonel e Luísa / Diniz e Diana / Dora e Fernando.
Luísa, Diana e Dora são amigas. Dora filha de Afonso. Diana mantém um caso com mais de 2 anos com o pais de Dora. Afonso fora em tempos professor de Diana na escola primária.
Dora, com uma mãe muito conservadora, onde nem o próprio pai deixava que visse a filha nua em pequena no banho ou ajuda-la, tem uma paixão por Filomena na sua fase adolescente, no ensino secundário, onde se contempla e se excita com todos os olhares sobre o corpo de Filomena.
Com o desenrolar da história, vamos descobrindo que Dora se separa de Fernando, e que este começa a ter casos com várias mulheres que o vão tocando pelos mais diversos prazer, até pelo facto do cheiro dos seus perfumes que o marcam, tais como o de Daniela que vive uma noite num motel, Dulce ou mesmo Sílvia.
Fernando, divorciado e solitário, torna-se apaixonado por casos com mulheres via web, e conhece Felícia uma brasileira que depois mais tarde é substituída por uma portuguesa que conhece - Flor.
Leonel insatisfeito com a sua vida de casado, procura na internet e recebe várias mensagens de declaração de amor de Laura, mensagens estas que um dia são descobertas por Luísa, e onde a partir da qual esta por ciumes decide alterar a sua forma de vida com Leonel e reacender a chama que neles falta.

No fundo todos são casais que de uma forma ou outra, vivem insatisfeitos com os seus casamentos, e que de uma forma ou outra tenta escapar e procurar alguém que os contemple.

No final desta obra, tudo se resume descobertas, tristezas e realizações pessoais.
Diana, acaba por desaparecer e morrer, deixando um diário a Afonso, que ao ler também fica mal e onde Dora no hospital lhe pede a ver se pode ler e descobre tudo o que a sua amiga lhe traiu, e que esta não sabia que Dora também a traia com o seu marido. Diniz com a descoberta, acaba por se enrolar com várias mulheres de Leste e outras nacionalidades e acaba por se deixar ser contagiado e consumido pelo SIDA, deixando-se levar pela morte lenta sem tratamento. Este entrega as cinzas mortais de Diana a Afonso, para realizar o desejo de Diana. Mas contudo Afonso acaba por falecer, com todos estes acontecimentos.
Dora, vive os seus dias agarrada no hospital, a Diniz, seu amante, fazendo-lhe companhia nos dias de consumo pelo vírus.
Alice, viúva de Afonso, acaba por ir para Paris, viajar, fazendo aquilo que Afonso lhe escrevera e planeara um dia fazer com ela.
Fernando continua a sua vida solitário.
Leonel e Luísa, a quem cabe o final deste Diário dos Infieis, que nunca se haviam traído fisicamente, mas apenas nos votos e promessas, acabam por ir jantar a um restaurante para reatar e recuperar aquilo que fora perdido, mas onde Leonel comenta com Luísa que Laura, desaparecera, que morrera pela violência que sofria pelas mãos do seu marido. Luísa responde-lhe entre as lágrimas deste, com uma pergunta "E nós?... () ... Ainda me amas?"

Gostei deste livro, um verdadeira relato daquilo que provavelmente acontece em alguns grupos num mundo se sorrisos falsos e amizades traidoras. Mas claro é um livro, mas faz-nos transpor para um género de filme, comédia romântica, não sei.
É uma boa obra para ser lida e claro de um autor Português. Aconselhado!
Opinião: "Diário dos Infiéis" de João Morgado Opinião: "Diário dos Infiéis" de João Morgado Reviewed by Clube dos Livros on agosto 08, 2010 Rating: 5

1 comentário:

Com tecnologia do Blogger.