"Manual para não morrer de amor" de Walter Riso

janeiro 24, 2012


Autor: Walter Riso
P.V.P.: 14,41 €
Data 1ª Edição: 2012
Nº de Edição:
ISBN: -
Nº de Páginas: 320
Colecção: -
Editora: Planeta
«Para que uma relação funcione têm de existir três elementos: química e desejo (Eros), logo é necessário haver cumplicidade e companheirismo entre ambos (Filia), o que pressupõe 70% para uma boa relação. E, por último, é importante a partilha e a ternura (Ágape), que a dor do meu parceiro me doa a mim também.»

Sobre a obra:
Para muitos, o amor é um fardo pesado, uma doce e inevitável dor ou uma cruz que carregam às costas, porque não sabem, não podem ou não querem amar de uma forma saudável e inteligente.
Para quê um amor assim?, pergunta o psicólogo Walter Riso.
A verdade é que nem todas as pessoas fortalecem e desenvolvem o seu
potencial humano com o amor; muitas enfraquecem, anulam-se e deixam de ser elas próprias, na ânsia de querer manter uma relação tão irracional quanto angustiante.
Para amar não é preciso morrer de amor, sofrer, perder o norte, ou alterar a sua identidade: isso é intoxicação afectiva.

Não morrer de amor é rejeitar qualquer vínculo afectivo que nos sujeite
a uma relação doentia e castrante.
Que podemos fazer, então?
É possível amar sem nos enganarmos tanto e de modo a que o sofrimento seja a excepção e não a regra?
É possível amar sem sofrer e, mais do que isso, amar com prazer e sentir a sua sempre arrebatadora paixão?

Para dar resposta a todas estas perguntas, o reconhecido psicólogo
e especialista em relações de casais, Walter Riso dá-nos as soluções
e as ferramentas para ajudar a superar os desgostos amorosos e a mudar
o conceito de amor tradicional por um mais inovador e saudável.


Dez Princípios de Sobrevivência Afectiva
1. Se já não é amado, aprenda a perder e retire-se com dignidade.
2. Casar como o amante é como deitar sal na sobremesa.
3. Nem contigo nem sem ti? Fuja para bem longe!
4. O poder afectivo pertence àquele que menos precisa do outro.
5. Um prego nem sempre arranca outro prego, muitas vezes ficam os dois lá dentro.
6. Evite o sacrifício irracional; não se anule para que o seu par seja feliz.
7. Se o amor não se vê nem se sente, não existe ou não lhe serve.
8. Não idealize o ser amado: veja-o como ele é, com frieza e sem anestesia.
9. O amor não tem idade, mas os apaixonados têm.
10. Algumas separações são instrutivas: permitem-lhe saber o que
não quer do amor.

Sobre autor:
Walter Riso nasceu em Itália, em 1951. Era ainda muito jovem, quando a família emigrou para a Argentina e aí cresceu num bairro multiétnico, no seio de uma comunidade de emigrantes italianos.
Estudou psicologia na Universidade de Colômbia, movido pela sua constante curiosidade e inquietação. Especializou-se em terapia cognitiva e fez um mestrado em bioética. Desde há trinta anos, exerce psicologia clínica, actividade que alterna com o exercício da cátedra universitária e a realização de publicações científicas e de divulgação em diversos meios.
Os seus livros cumprem o objectivo a que se propôs: o de criar uma vacina contra o sofrimento humano, ao propor estilos de vida saudáveis nas diferentes etapas da vida. O êxito dos livros de Walter Riso é esmagador.
Actualmente reside em Barcelona.

Consulte o sítio do autor: www.walter-riso.com


Imprensa:
-

You Might Also Like

0 comentários

Follow on Facebook