"Uma vida à sua frente" de Romain Gary


Autor: Romain Gary
P.V.P.: 16,50 €
Data 1ª Edição: 2011
Nº de Edição:
ISBN: -
Nº de Páginas: 184
Dimensões: - x - mm
Colecção: -
Editora: Sextante Editora
Uma vida à sua frente recebeu o Prémio Goncourt em 1975 apesar do autor, Romain Gary, já o ter recebido.

A Sextante Editora orgulha-se de publicar Uma vida à sua frente, escrito por Romain Gary sob o pseudónimo de Émile Ajar.
Este romance, que chega às livrarias no dia 20 de Janeiro, foi agraciado com o Prémio Goncourt em 1975, porque não se sabia que Romain Gary, que já tinha sido premiado em 1956, era o seu verdadeiro autor. Só após o suicídio de Gary se soube que Émile Ajar era um pseudónimo seu.
Uma vida à sua frente, romance que vendeu milhões de exemplares em todo o mundo e nunca tinha sido publicado em Portugal, tem como narrador um rapaz muçulmano de 14 anos, Momo, que vive com outros rapazes ao cuidado de Madame Rosa, uma prostituta reformada, judia sobrevivente dos horrores de Auschwitz.

Sobre a obra:
Uma vida à sua frente é narrado por Mohammed, um rapaz árabe de 14 anos, órfão, que vive no bairro pobre de Belleville com Madame Rosa, prostituta reformada e sobrevivente de Auschwitz.
Publicado em 1975, o livro teve êxito imediato: vendeu milhões de exemplares em todo o mundo, foi traduzido em mais de vinte línguas e adaptado para o cinema num filme com Simone Signoret.
Nesse mesmo ano, recebeu o Prémio Goncourt.

Sobre autor:
Roman Kacew nasceu em Vilnius, Lituânia, em 1914, de pais russos judeus. Aos catorze anos muda-se para Nice com a mãe, que investe as suas energias em moldar o destino do filho. Todos os triunfos augurados por Nina se cumpriram: Romain Gary, como passou a assinar, foi aviador e herói de guerra, fez carreira diplomática na Bulgária, França, Suíça e Estados Unidos, e tornou-se um dos mais famosos escritores do seu tempo. Educação europeia, o seu primeiro livro, foi aclamado por Sartre como o melhor romance sobre a resistência aliada. Com As raízes do céu, que John Huston adaptaria para o cinema, venceu o Goncourt em 1956. Em Los Angeles, casou-se com a actriz Jean Seberg, escreveu guiões de cinema, realizou filmes.
Um ano após a morte da mulher, em 1980, Gary suicida-se em Paris com um tiro na cabeça. Numa nota revela ser o criador de Émile Ajar, autor de romances de grande êxito, entre eles Uma vida à sua frente, que em 1975 foi distinguido com o Goncourt. Perante a recusa do autor em receber o prémio, o júri havia protestado: «O Goncourt é como a vida e como a morte – não se aceita nem se recusa. Émile Ajar é, não obstante, o laureado.» E Romain Gary entrou assim na História como o único autor a receber o mais prestigiado prémio literário em França por duas vezes.

Sobre a obra:
Uma vida à sua frente (…) é uma gigantesca tentativa de subversão de todos os códigos linguísticos. Donde o júbilo perpétuo que percorre o livro. Donde também, e sobretudo, a infinita ternura que une o pequeno Momo e Madame Rosa e que faz deste livro uma das mais comoventes histórias de amor.
L’Express

Uma vida à sua frente é um livro que perturba com a sua felicidade amarga, com a sua verdade, com o seu amor à vida e um desencanto risonho, com a justeza da sua escrita.
Nouvel Observateur

É absolutamente necessário ler Uma vida à sua frente, de Émile Ajar. Um livro que vai direito ao coração.
Marie France

"Uma vida à sua frente" de Romain Gary "Uma vida à sua frente" de Romain Gary Reviewed by Clube dos Livros on janeiro 12, 2011 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.